sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Comemoração de 1 ano Joy Joy Bistrot

No mês de agosto o Joy Joy Bistrot comemorou 1 ano de existência. Para comemorar, a chef mineira, Joyce Francisco, elaborou um menu confiance para oferecer uma noite inesquecível aos seus convidados. Aceitamos o convite e nos encaminhamos ao lugar mais charmoso de São José, localizado no Centro histórico.

O clima intimista do bistrô é aconchegante. A mesa que nos esperava era na varanda. A atenção e cuidado foram percebidos na distribuição de mantas sobre as cadeiras para manter todos os pés quentinhos. A mantinha foi um detalhe que saiu da figuração para virar agente protagonista, pois o ventinho noturno não deu trégua.

Observamos a quantidade de talheres e taças e compreendemos que faríamos um tour gastronômico. A certeza veio à tona quando lemos os menus que nos informaram sobre as delícias que seriam oferecidas e os vinhos harmonizados.








Para abrir a noite, nos foi servido espumante brut nacional Do Lugar e Acqua Panna - que nos acompanhou durante toda a noite. Bastante refrescante, o espumante elaborado a partir de um vinho Pinot Noir e Chardonnay, cumpriu o seu papel de brinde festivo.

As entradas e pratos principais estavam separados em: do mar, do rio e da terra.

Começamos por águas salinas, representadas por ostras in natura. Quem acompanha o blog há bastante tempo, deve saber que amo ostras, mas a in natura ainda não conseguiu amolecer meu coração. Não recusei a primeira entrada, pois vinha acompanhada de uma cachacinha. Comi a ostra e dei o shot. Tranquilo...




Enquanto minha cabeça ainda girava, chegou à mesa o surubim defumado em cama de mini agrião e mostarda e sorbet de manga. Das entradas, foi a que aguçou minha curiosidade ao ler o menu. Buscando em minhas memórias, não me lembro de ter algum dia provado esse peixe de rio. De hábitos noturnos, o surubim está entre os peixes de couro mais apreciados pelos pescadores do Pantanal. 

O prato era um charme só, que chamou atenção pelas diferentes texturas. O sabor inusitado da carne, misturado ao sorvete e folhas, fez com que este fosse eleito por mim a entrada preferida da noite.




O representante de solos mais firmes foi roast beef com micro verdes, pão de campanha e aiöli. Certamente a mais fácil de agradar. Atenção para o aiöli, tradicional molho provençal com alho e azeite, podendo ser preparado com maionese/mostarda, delicioso que foi servido.  Raspei todo com o pãozinho...




Últimos goles de espumante para darmos início, agora, aos principais.

Do mar, o surpreendente espaguete de pupunha salteado em manteiga de bisque, camarões grelhados, espuma de leite de coco e pesto de sálvia. Nossa! Esse prato foi só elogios. Em todo canto ouvia-se burburinhos de surpresa e elogio. Pela aparência, o espaguete era realmente um espaguete normal, feito de massa. Aí que está o grande engano. Nada de pupunha incluída na massa, apenas 100% pupunha cortada em finas tiras compridas, em formato de espaguete. O sabor suave do leite de coco casou perfeitamente com a proposta de prato leve - mesmo com camarões gorduchinhos como esses.




A harmonização ficou por conta do Sinfonia Rosé Brut da serra catarinense, da vinícula Monte Agudo. Gostinho de cereja, gostinho de quero mais.

Bastante diferente foi a apresentação da dourada em papel de arroz, purê de banana-da-terra e vinagrete de romãs. O peixe estava todo envolto em papel de arroz, que mais parecia um bolinho. A casquinha era crocante e o peixe de carne super branca estava molhadinho. Sobre o purê, o comeria puro toda semana... Para acompanhar o prato, o ácido Monte Agudo Chardonay 2010.





Foram dois os pratos da terra: Paleta de javali em baixa temperatura com mousseline de inhame e coulis de jaboticaba e Côte de bouef em baixa temperatura, pommes fondant au beurre e thyn, sauce bernáise.




O primeiro foi servido juntamente com uma taça de um tinto Monte Agudo 2009.

Uma pesquisa demonstra que a carne de javali é 85% menos calórica que a de boi e o índice de colesterol é próximo a zero. Mesmo assim ainda não se popularizou no Brasil, quem sabe um dia (a caça aqui é proibida, ficando restrita a criadouros). Carne macia, com sabor suave, muito gostosa. O coulis, originalmente de textura firme, surpreendeu. Receei que não combinasse com a carne, mas não consigo pensar em algum molho que caia melhor.






O último prato foi harmonizado com um tinto chileno Grand seléction, Merlot 2011 da vinícula Casa Lapostolle, vinho marcante que fechou os pratos salgados com chave de ouro.

Jantar completo é jantar seguido de sobremesa. Claro que Joyce não se esqueceu dos doces e ofereceu doçuras graciosas, delicadas e o mais importante, saborosas. Foram duas sobremesas acompanhadas de Salton Moscatel, para borbulharmos de felicidade.

Diretamente da cozinha francesa para a nossa mesa: Nougat Glacê. Semi-frio com frutas crocantes e sementes, como amêndoas. Entrou para a minha lista de top 5 de sobremesas. Não quis saber se a laranja era apenas enfeite, depois da primeira mordida decidi que iria até o fim e fui.




Representando muitíssimo bem o Brasil, doces brasileiros em 3 tempos: mini-quindim, brigadeiro e mini-pudim de leite. Conseguem ver a delicadeza? Comidinha de boneca sobre folha de bananeira com gosto de doce da casa da vovó.






O Joy Joy é um bistrô lindo, comandado por uma chef e tanto que sabe como ninguém transformar comida em arte.

Provado e aprovado.


ATUALIZAÇÃO: O Joy Joy Fechou.

Endereço: Rua Gaspar Neves, 3153 - Centro histórico de São José. São José/SC.
Telefone: (48) 3343-1144

15 comentários:

  1. que banquete! como sempre, babei mais pelas sobremesas!

    ResponderExcluir
  2. Estes tempos fui atrás de um bufê de sopas no centro histórico de São José e descobri que o Joy Joy que eu já tinha ouvido falar era ali também. Me deu mta vontade de entrar, mas como a sopa era a pedida da noite, resolvemos voltar e ir de sopa no Conversa Fiada mesmo. Agora já sei que vale a pena experimentar! Adorei os pratos, mto fofos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro que conversamos sobre as sopas do Conversa Fiada. Tenho que ir um dia.
      O Joy Joy é uma gracinha mesmo e os pratos certamente chegarão à mesa em boa apresentação.

      Excluir
  3. O lugar é caríssimo. Está certo que é um Bistrô e a proposta é de maior refinamento, mas não achei um bom custo benefício pelo preço pago.

    Quanto à beleza do lugar e serviço, não tenho do que reclamar..

    ResponderExcluir
  4. Joy Joy...

    Um restaurante com jeito Francês, local bacana, descolado, porém de comida ainda muito cara, precisa evoluir ainda na composição dos pratos. Para região da grande Florianópolis está de parabéns.
    Vale a pena conferir.

    ResponderExcluir
  5. O local é realmente muito bonito, mas além do preço salgado, comentado pelo amigo acima, tem um sério problema de organização.
    No aniversário de 1 ano, soube de pelo menos 2 convidados que foram barrados na porta: um porque não respondeu ao RSVP e o outro porque levou a esposa. Que falta de delicadeza, pra não dizer outra coisa.
    E olha que eram pessoas importantes para o futuro do bistrô... (um jornalista e um fornecedor de vinhos)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Tonny
      Acredito que tal fato ocorreu por ser um jantar fechado, apenas para convidados. Fomos muitíssimo bem atendidos, novamente.

      Excluir
  6. "Falta de delicadeza" é a pessoa aparecer em um jantar super restrito para 28 pessoas sem ter confirmado presença e ainda com acompanhante.

    ResponderExcluir
  7. Chef Joyce Francisco10 de setembro de 2012 18:26

    Caro senhor Tony,

    Em respeito aos clientes e em esclarecimento à sua pessoa venho dizer que infelizmente não tivemos como atender a estas pessoas aos quais o senhor se referiu, quando da realização do evento de 01 ano do Joy Joy a saber:

    Os convites foram enviados e nos mesmos ficou claro a necessidade da confirmação da presença, visto só possuirmos 28 lugares.
    O Jornalista citado não confirmou presença e lhe explicamos que infelizmente não poderíamos recebê-lo, pois correríamos o risco de fazê-lo de forma inadequada, e que o mesmo é e será sempre bem vindo ao nosso espaço, porém não tínhamos condições de atendê-lo por conta da limitação de nosso espaço.
    Com relação ao fornecedor de vinhos, realizamos um convite a pedido de um dos convidados iniciais, e estendemos o convite a esta pessoa, que por sua vez trouxe um acompanhante, o que gerou surpresa, pois o convite não havia sido estendido ao acompanhante e não foi confirmada esta presença.
    Apesar de nossos esforços para atender ao casal em questão, reorganizando os convidados nas mesas (pois faltaram dois convidados, quando da sua chegada) o mesmo optou por não esperar em nosso espaço gourmet, onde aguardava confortavelmente acomodado, servido de espumante, e foi embora sem ao menos se despedir.

    Ocorre que de nossa parte fizemos o correto ao convidar e solicitar que os convidados confirmassem presença, lamentamos infelizmente que tenham havido estes dois contratempos, porém a saber, não por indelicadeza nossa, tampouco por falta de respeito aos nossos convidados, e sim o contrário, em respeito a todos os que confirmaram presença e compareceram não poderíamos de forma alguma receber outros convidados que não o fizeram, evitando assim que nosso atendimento não fosse o adequado, pois não tínhamos lugares suficientes para tal. Aproveito para esclarecer que todos os clientes do Bistrot são importantes para o futuro do mesmo e entendo que o respeito pelos mesmos é o motor primordial para continuarmos o trabalho que estamos desenvolvendo ao longo deste e que desenvolveremos ao longo dos próximos anos, desta forma acredito que os interessados envolvidos neste lamentável episódio entenderam e certamente retornarão, até mesmo porque não fomos nós que demos causa ao mesmo.
    O fato é que antes de realizar comentários deste naipe, gostaria que o senhor se interasse da situação real, que é esta que lhe esclareço, evitando comentários desagradáveis e degradantes envolvendo minha empresa que é idônea e que preza pelo respeito e atenção aos seus clientes.
    Grata pela sua atenção,

    Chef Joyce Francisco
    Proprietária Joy Joy Bistrot

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joyce, prazer tê-la conosco. Obrigada pela resposta de esclarecimento ao leitor.

      Ficaria muito surpresa se houvesse alguma indelicadeza por parte do Joy Joy, pois tudo nos pareceu encantador, pensado nos mínimos detalhes e, que bom, com carinho.

      Bjs,
      Priscila Prudêncio

      Excluir
  8. "Não quis saber se a laranja era apenas enfeite."...haha... essa foi ótima. Sou obrigado a confessar, nesse jantar eu não ficaria em dúvida só com a laranja não...hehe...

    O Joy Joy fica próximo da gente, mas ainda não tivemos a oportunidade de visitar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, comi tudinho...

      Façam uma visita ao bistrô e tirem suas próprias opiniões. Arrisco que irão gostar.

      Excluir