sexta-feira, 20 de julho de 2012

Almoço completo no Outback

Comentei aqui que tentei ir ao Outback há um tempo atrás e acabei desistindo, pois a fila de espera era grande. Teria aguardado se eu soubesse informações que me foram passadas pela proprietária do Outback Floripa, Juliana Sales.

Se houver fila de espera, o cliente recebe um pager que vibrará quando vagar sua mesa. Enquanto isso, pode passear pelo shopping e dar uma olhada nas novidades das vitrines. A rede também trabalha com recepção hospitaleira, em que enquanto o sujeito aguarda na sala de espera, itens variados do cardápio são servidos para degustação, o que facilita a futura escolha dos pratos e acalma o ânimo de quem aguarda ser chamado para entrar.

A convite da assessora de imprensa Juliana Sizinando, o Saboreando Floripa foi almoçar no Outback para, finalmente, conhecer as gostosuras da steakhouse que chegou agitando a cidade. Sendo um convite, foi um almoço cortesia, com todas as despesas por conta do restaurante.

Era 12:30h de terça-feira e, acreditem, casa cheia! Assim que entramos, Claudio e eu fomos simpaticamente recebidos e encaminhados à mesa reservada. Já mesmo na entrada, a decoração conta com uma grande estante que expõe as enormes cebolas utilizadas no aperitivo mais famoso do Outback, e todos os temperos que são utilizados nos pratos do restaurante.

O ambiente é grande e agradável. Existem mesas no melhor estilo banco estofado, que nos fazem lembrar que Outback também é bar, como outras maiores, mais comuns em restaurantes. O vermelho predomina nas paredes e decoração, mas o bar iluminado traz amarelo e tons de azul, que atraem ainda mais o nosso olhar.





Juntamente com meu nascimento, surgiu o primeiro restaurante Outback da rede, inaugurado em 1988 na Flórida (É, eu também pensava que tinha sido na Austrália, mas o país serve somente de inspiração ao nome, pratos e decoração). Quase dez anos depois, a steakhouse pousou em ares mais tropicais e inaugurou sua primeira casa na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Atualmente está em 22 países, entre Europa, Américas, Ásia e Oceania, e possui 36 restaurantes no Brasil.

Diferentemente do que fazem grandes marcas do mundo gastronômico, o Outback não trabalha com franquias. O esquema é de sócio-proprietário, responsável sobre a gestão do empreendimento. Os sócios-proprietários, como Juliana Sales, passam por treinamento intensivo nos restaurantes, onde atuam nas diversas áreas do negócio. Trabalhando inicialmente como atendente de uma unidade da rede em São Paulo, Juliana aumentou seus conhecimentos, migrou para Porto Alegre, cresceu no seu emprego e foi convidada a abrir o Outback Florianópolis, agora como sócia-proprietária. Coube a ela e toda a equipe Outback, repassar sua aprendizagem aos funcionários da nova casa, os chamados Outbackers. O perfil destes é sempre o mesmo. Não pense que por trás de pratos lindos e saborosos há as mãos de um renomado chef. Não. Os Outbackers, geralmente universitários, são pessoas comuns, crus desse conhecimento específico. Com muito treinamento, supervisão e capacitação, os atendentes buscam oferecer o que todo cliente busca: sabor e satisfação.

Interessados nas opiniões dos clientes e exigência de satisfação entre 93 a 97%, o Outback busca o feedback de uma forma interessante, que tende a agradar os dois lados, casa e consumidor. Assim que você paga sua conta, no cupom fiscal constará um código para participar da pesquisa de satisfação Outback. A pesquisa é longa e as perguntas abordam diversos aspectos, como iluminação, banheiro, atendimento, sabor, etc. Depois de responder tudo, você receberá um cupom para imprimir, que se levado a sua próxima visita ao restaurante, ganhará um aperitivo, sendo que é válido para qualquer unidade da rede, ou seja, mesmo que sua última visita tenha sido em Floripa, o cupom pode ser usado em Ribeirão Preto, por exemplo.

Quando falamos o nome Outback, o que vem à mente em primeiro lugar é carne. Não é para menos, pois é, sim o carro-chefe da rede. As carnes recebem cortes especiais, fornecedores selecionados e devem cumprir as exigências Outback Beef, de carnes provenientes de Herefor ou Angus, animais de raças de procedência britânica que recebem alimentação específica à base de milho, tudo isso para garantir sabor e maciez.

Mesmo com diversas opções de carnes no menu, peixes, sopas, massas, saladas e sanduíches também podem ser consumidos no restaurante. De segunda a sexta existe o Lunch Menu, que oferece combinados de entrada + prato principal a preços mais acessíveis, entre R$36,75 a R$38,75. Nesses dias também (exceto feriados), das 18h às 20h, acontece o Billabong Hour, com qualquer bebida alcoólica em dobro, fora garrafas. Outra novidade é o Double Wine que ocorre de segunda a quinta-feira, almoço e jantar, em que pedindo um taça do vinho australiano Banrock ou argentino Portillo você ganha outra de graça (promoção válida até 31/10/2012). Um agrado que não tem dia e nem horário é o sistema de refil: refris e chás podem ser consumidos à vontade.

Quando chegamos, dividimos a mesa com outros colegas blogueiros, e comidinhas já estavam sobre a mesa: Pão australiano com manteiga, cortesia da casa, e uma porção de Bloomin' Onion (R$29,75), a famosa cebola do Outback. O pãozinho tem gosto de mel e, se não fosse um couvert gratuito, seria um pedido meu, de tão bom que é. A cebola é uma atração. Um aperitivo diferente e bem condimentado, para não dizer super apimentando! Os amantes de pimenta adorarão, com certeza. Além da própria cebola ser apimentada, ela vem acompanhada de um molho mais forte ainda.

Sentia que algo faltava e que minha boca estava ficando cada vez mais quente. Para ficar em paz com minhas papilas gustativas, iniciei a tarde com o elogiado chopp da casa e descobri que é Brahma, servido em um canecão congelado, lindo de viver. Claudio, que iria logo para o trabalho, pegou mais leve e ficou no guaraná.

Cada um escolheu seu prato de acordo com seus gostos e curiosidades, bastante coisa boa, como vocês verão nas fotos.

Como entrada, teve salada: El Rachito, "deliciosa combinação de alface, cenoura, repolho roxo, mix de queijo, bacon e tiras de nachos. Tudo regado ao molho Barbecue Ranch"; sopa: Corn & bacon cream, creme de milho e bacon.



Antes de começarmos os pedidos, fomos informados sobre os pontos da carne, que devem ser repassados aos Outbackers. De acordo com o restaurante:
Mal passado = Carne bem vermelha e centro frio.
Ponto para mal passado: Centro da carne vermelho e morno.
Ao ponto = Centro rosado com um toque vermelho, morno. (Que seria o nosso mal passado.)
Ponto para bem passado = Centro marrom/rosado, de morno para quente.
Bem passado = Centro quente e marrom.

Esclarecido isso, vamos aos protagonistas.
Rockhampton Ribeye: "A mais harmonizada das carnes, também a melhor em suculência e maciez. Corte de 250g da parte mais nobre do Rib, o steak preferido dos fazendeiros australianos" (R$45,90). com Arroz Tasmânia (R$16); Peixe! Grilled Fish & Shrimp Scampi: "Tilápia perfeitamente temperada e grelhada, coberta com camarões ao molho Scampi", acompanhado de Garlic Mashed Potato, purê de alho (R$16); Victoria's Filet: Filé de 230g, macio, preparado no estilo Outback (R$44,90) + Jacket potato (R$16) e também massa.


A proprietária Juliana Sales almoçou um aperitivo, o Kookaburra Wings: "Sobreasas de frango empanadas com uma mistura de temperos especiais e acompanhada de molho blue cheese e aipo", que estava cheiroso.

Claudio foi de Outback Rack: "A melhor costeleta de cordeiro, temperada em uma seleção de ervas finas, grelhada e servida com molho Cabernet" (R$54,90), acompanhado de Arroz Tasmânia (R$16). Claro que dei garfadas no prato dele para provar. Não sou grande fã de cordeiro, ovelha e tudo mais, mas considerei que a costela estava suave e bastante macia. Enquanto comia, o namorado quase não conversou comigo, o que deve ter sido sinal de aprovação. O Arroz Tasmânia é muito bom! Vale a pena.

Eu quis conhecer o famoso Ribs on The Barbie: "Costela de porco defumada e grelhada, regada com delicioso molho barbecue" (R$43,75), Cinnamon Apples (maçã com canela e pimenta) e Jacket Potato (batata assada, recheada com requeijão, queijo, cebolinha e bacon - R$16). Minha nossa senhora, que prato enorme! Todos na mesa ficaram apavorados com a travessa de costela. A costelinha de porco do Outback fica cozinhando durante 24 horas, portanto, já era de se esperar uma carne super defumada e macia, que se desmanchava a cada puxada de garfo. Sou suspeita quando o assunto é molho barbecue, pois é um dos meus preferidos, e o de lá é de lamber os dedos. Achei que o purê de batata ou a batata recheada seriam os melhores acompanhamentos para o meu pedido. A recheada poderia ser quase um prato principal, de tão grande. Pense no requeijão quentinho e cremoso escorrendo a ladeira de carboidratos da batata assada...

Mesmo sendo boa de garfo e magra de ruim, acreditem, cheguei apenas até metade da costelinha. Foi aí que descobri que eles oferecem o Junior Ribs (R$35,75), que é meia costela, ideal para uma pessoa. O Ribs pode, tranquilamente ser dividido entre duas pessoas normais, é só pedir um aperitivo como entrada.

Esse almoço delicioso foi acompanhado do vinho argentino Portillo Malbec (2011), ganhador de diversos prêmios, como o melhor Malbec argentino no Decanter World Wine Awards, 2012.





Depois de três horas de comilança, a tarde só poderia terminar com o que faltava para fechar com chave de ouro: sobremesa. E, agora, minha gente, tenho o prazer de apresentar-lhes a minha sobremesa favorita, o Cinnamon Oblivion (R$20). Nada mais, nada menos que "sorvete de creme coberto com nozes crocantes, reinando sobre um mix de 'Cinnamon Aplples' e croutons de canela. Creme de chantilly, morango e calda de caramelo"Sei que não conseguirei traduzir tudo o que achei dessa delícia, e, como sabem, nunca fui muito do doce. Uma combinação impecável! Muitas palmas para as nozes caramelizadas e para os croutons de canela, crocantes que só. Já sei como terminar minha próxima visita ao Outback.


Outback
Endereço: Rua Bocaiúva, 2468, Shopping Beira Mar - Centro. Florianópolis/SC.
Telefone: (48) 3039-0935
Horário de funcionamento: Segunda a quinta: das 12h às 15h e das 18h às 23h. / Sexta: das 12h à 15h e das 18h à 1h. / Sábado: das 12h à 1h. / Domingos e feriados: das 12h às 22h.
Estacionamento: Sim
Aceita cartão: Sim

Mais em: Aond Ir.

16 comentários:

  1. HUMMY! vontade bateu!! no rio, sempre vou com meu grupo de amigos...chopp, pao australiano, ceasar salad e brownie sao os meus favoritos!

    http://deliciasdaisa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Lara de Bruchard Costa20 de julho de 2012 22:40

    Hummmmmmmmmmm!
    Parece uma delícia!!
    Que vontade de comer uma carninha!! Hehehe!!

    Meus amigos foram lá outro dia. Disseram que realmente é uma delícia.
    Vou ter que ir um dia provar!
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lara de Bruchard Costa20 de julho de 2012 22:42

      Ah... e eu adorei isso do pager e da degustação!! Isso que é restaurante bem preparado, né?!

      Excluir
    2. Sim, muito legal!! Vai, sim, vais gostar. Achei tudo muito bom. Claro que era um convite, mas pelo que sei, as pessoas sempre falam bem de lá. Beijocas

      Excluir
  3. Poderia me informar qual o valor fical??
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, não entendi a pergunta. Os valores constam no texto, após a descrição dos pratos. Será que é isso?

      Excluir
  4. Arrasou no post, Pri! Super completo!


    Beijão,
    Gabi Morateli
    Blog Garfadas

    ResponderExcluir
  5. Pri, eu não sou chegada em pimenta, mas a da cebola eu consigo comer bem tranquilo, só não coloco muito molinho!
    Quando fui a primeira vez nao imaginava que iria gostar tanto, já estou com desejo! A massa parece uma delícia.
    Adorei as fotos.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é coisa de costume... Agora já não a sinto tão apimentada. Obrigada, Tati!
      Bjss

      Excluir
  6. Já estive em diversos Outbacks pelo Brasil, e o nível de atendimento e da comida como um todo é sempre padrão, e muito bom. De fato, na primeira vez que tentei ir no de Floripa, desiti pela fila (frequente em qualquer Outback, já dei na porta em São Paulo 03 vezes). Aqui o tal do pager funciona, em São Paulo, ele funcionada a "alguns metros do restaurante" abortando a idéia de passear no shooping enquanto se espera.

    Sempre peço o Outback Rack, com cebolas. Aquele molho picante que vem junto é matador na medida. O Choop, sempre gelado ao extremo, também impressiona. Gosto muito, bom atendimento, bom lugar, sempre recomendo a conhecidos. A ribs on the barbie é muito elogiada por minha namorada, mas molho doce não é a minha praia então só registro.

    As sobremesas também são ótimas, ressaltando que são grandes, até se bobear para duas pessoas. Aquele suco não alcólico que parece alcólico laranja também é ótimo!

    abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Katsu, muito relevante o seu comentário.
      É bom saber que tudo que vi aqui em Florianópolis se repete nas demais cidades do país.
      Obrigada por compartilhar sua opinião aqui no SF.

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Muito caro. Tem restaurante bem melhor por 70% do preço. O Madero é bem melhor e pelo menos 30% mais barato. Tem gente que não conhece e paga caro so para se achar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não tínhamos Madero até poucos dias. Também o prefiro.

      Excluir