quarta-feira, 9 de abril de 2014

Amor & Ódio no Boteco Zé Mané

O Boteco Zé Mané é conhecido de todos na cidade, creio eu. Se não, aconselho a irem até lá, pois eu o adoro a sua atmosfera e cardápio distinto, mas olhos atentos com o atendimento. Como o bar já dispensa apresentações, é sobre mais um pouquinho do cardápio que vou falar.

Claudio e eu fomos ao Zé Mané para um Happy Hour tranquilo depois do trabalho - adoro essa programação. O bar estava lotado, mas, por sorte encontramos uma amiga sentada em uma das mesas da área externa, puxamos cadeiras e ficamos por ali. Logo ela foi embora, mas nós ficamos (beijo, Vivian!).

Só de olhar percebemos que seria uma noite difícil de atendimento, pois o bar estava lotado e os funcionários iam de um lado para o outro, muitas vezes parecendo perdidos e retornando à cozinha com petiscos que traziam em bandejas.

Como ninguém ali estava com pressa, começamos com cervejas para relaxar. Estas não demoraram muito, mas cadê o cardápio? Chamamos o garçom para que trouxesse um cardápio a nossa mesa, mas ele demorou tanto para levar que me levantei e peguei eu mesma em um balcão.

Bebemos várias cervejas da garrafa verdinha (R$9) e escolhemos dividir entradinhas, sendo a primeira queijo coalho grelhado com melaço de cana (R$9). Depois de 25 minutos recebemos o queijinho que ainda estava macio. Para mim, essa combinação sempre dá certo se for comida ainda quente. Uma entrada leve.





Para não termos que passar muito tempo esperando, no próximo pedido ao garçom já escolhemos duas coisas, o problema é que pouco adiantou, pois a espera foi enorme. 

Enquanto aguardávamos, chegaram à mesa em dois momentos distintos petiscos que não havíamos pedido, o que percebemos uma grande falta de organização. O mocosadinho de carne seca (R$22) demorou 45 minutos para nos ser entregue. Ainda bem que estava gostoso, com aipim pulando para fora e com recheio constante.





Mas, vocês se lembram que foram dois pedidos? O torpedo de siri (R$12) demorou, sem brincadeira nenhuma, 1 hora e 10 minutos. Nesse tempo, tivemos que chamar o garçom novamente e reclamar que o petisco ainda não havia sido entregue. Ele nunca mais voltou. Chamamos outro que foi mais ágil e averiguou no sistema, confirmando a demora. Pediu desculpas, foi à cozinha e voltou com nosso pedido, finalmente.




Pode parecer bobagem, mas depois que dei uma mordida até me esqueci do estresse. Dá para acreditar que foi no Boteco Zé Mané que comi um dos melhores bolinhos de siri da minha vida? Costumo pedir bolinhos, casquinhas ou torpedos quando vou a restaurantes de frutos do mar, mas achei que não seria a melhor escolha no bar, porém a vontade falou mais alto e o pedi. Uma escolha totalmente certeira que queria dividir com vocês.

A noite foi encerrada com mini-churros (R$12) de sempre que nem chegaram a ser fotografados, pois não deu tempo.

Não, não foi uma reviravolta 100%. Enquanto comia me esqueci dos percalços, mas não é algo que podemos aceitar com sorriso no rosto. Fica aqui registrado meu puxão de orelha na equipe e administração do Boteco Zé Mané (mais uma vez) e também meus parabéns por comidinhas tão gostosas como o torpedo de siri, bolinho de arroz e a coxinha de feijoada.


Ambiente: ♥♥♥
Atendimento: ♥

Preço: $$
Sabor: ♥♥♥♥♥


Boteco Zé Mané
Endereço: Rua Desembargador Pedro Silva, 2360 - Coqueiros. Florianópolis/SC.
Telefone: (48) 9962-6258
Horário de funcionamento: Domingo e segunda das 18h às 23:30h. Terça, quarta e quinta das 18h às 24h. Sexta e sábado das 18h às 01h.
Aceita cartão: Sim
Estacionamento: Não

10 comentários:

  1. Pri, o bar já é conhecido pelo péssimo atendimento desde sempre, não sei a comida gostosa compensa, porque todas as vezes que fui lá, eu tive problema. E todas as vezes que pedi para tirar os 10%, a moça do caixa fez aquela "cara" básica... Lamentável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas? Ixi. Daí é para não voltar mais, né?

      Excluir
  2. Sempre gostei de tudo que já provei de lá, mas faz muito tempo que não vou justamente pelo atendimento. Um dia o gerente pede desculpas e diz que a equipe é nova e está sendo treinada e no outro a garçonete vem querer bater boca comigo (tendo que a caixa chegar a pedir para outros colegas retirarem ela) porque eu não quis pagar o 10% de um atendimento lamentável... Uma pena, porque a comida e o ambiente são bons!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poisé. Fica aqui o registro, né, Luana? Espero que melhorem. :)

      Excluir
  3. ps: adoro o blog e mesmo morando em Floripa... acabo descobrindo aqui, novos lugares pra ir.

    ResponderExcluir
  4. Pelo visto não adianta nada informar que o atendimento é péssimo (pelo jeito faz parte da casa, e parece ser unanimidade), a casa continua cheia.

    Vai ver por isso não mudam, continuam faturando, então pra que mudar (esse deve ser o pensamento do(s) dono(s))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Michele

      Como falei, meu caso é de amor e ódio. Percebe-se que o ar não tem padrão, algo realmente difícil de encontrarmos em Floripa. Como já passei por maus, mas também excelentes bocados por lá, não deixei de ir - pelo menos por enquanto.

      Excluir
  5. A chefe é excelente no que faz, trabalhei com ela durante um tempo e tenho respeito ao trabalho de que tanto ama. Sim, ela ama cozinhar e faz com tanto amor que transborda em seus 'pratos'. Quanto ao atendimento fico triste em saber que esteja assim. De qualquer forma, o sabor de um simples prato te faz esquecer de todo o resto, quase um fato. Um beijo enorme Cheff Bell Hagenmann.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      As comidinhas são excelentes. Sou louca pela coxinha de feijoada. Mas, im, o atendimento é o maior pecado no Zé Mané.

      Excluir